Charges

PODER SEM PUDOR

Certo endereço errado O senador paraibano Efraim Morais (DEM) era conhecido pelo jogo de cintura e o senso de humor. Presidente-tampão da Câmara por 45 dias, no final de 2002, às vésperas de deixar o cargo e a residência oficial, ele recebeu a inesperada visita do campeão de votos Enéas Carneiro (Prona-SP) e de seus deputados acusados de fraudar o domicílio eleitoral. Efraim esmerou-se na simpatia, mas torcia para que fossem embora sem serem vistos. Foi inútil: um repórter soube e quis saber o motivo da visita. Efraim foi rápido: – Nada não, eles erraram de...

Leia Mais

PODER SEM PUDOR

Por que não poderia dar certo A reunião do colégio de vice-líderes do PT na Câmara dos Deputados, em 2003, tomou duas decisões da maior relevância. Primeiro, que o então líder do PT, Nelson Pelegrino (BA), ofereceria um almoço à bancada, na residência do presidente da Câmara, e o prato principal seria o caruru. Também foi deliberado articular um time de futebol de deputados do PT para enfrentar o selecionado do presidente Lula. Mas Pelegrino avisou: – É para perder, hein? Se a gente ganha, o pessoal vai dizer que a bancada do PT impôs uma derrota ao governo...

Leia Mais

PODER SEM PUDOR

A lição de Afonso Arinos O então presidente Lula queria o Brasil participando de um convescote de países da África e da Ásia. Em 1960, Fidel Castro propôs o mesmo a Jânio Quadros, que o visitava. A lição coube ao senador Afonso Arinos, que estava na comitiva: – Os países  da África e da Ásia representam, numericamente, uma força maior que nós americanos e com interesses muito diversos dos nossos. Caso esta cúpula se encaminhe para votações cujos interesses não sejam exatamente os nossos, eles formarão maioria, ficaremos expostos e seremos forçados a segui-los, perdendo o controle dos destinos da...

Leia Mais

PODER SEM PUDOR

Resposta à cavalgadura Deputado oito vezes, o general gaúcho Flores da Cunha era muito culto, grande tribuno, dono de admirada rapidez de raciocínio. Certa vez, discursava na Câmara, presidida por Ulysses Guimarães, e tentava ignorar os pedidos de aparte de um deputado do baixo clero, que gritava: – V. Exa. foge ao debate! É incoerente! Dá uma no cravo, outra na ferradura! Flores da Cunha se impacientou e demoliu o provocador: – V. Exa. é o culpado! Por que se mexe tanto? Assim não posso ferrá-lo… O plenário desabou em demorada...

Leia Mais

PODER SEM PUDOR

Nada de discurso O governador paraibano Ernane Sátyro tinha horror a discursos e resistia à tortura de um falatório. Certa vez, foi à posse solene de um sindicato porque prometeram que não havia discursos, mas, na hora agá, o presidente empossado sacou um calhamaço. Era o seu “improviso”. Num golpe rápido, Satyro tomou a papelada das mãos do sindicalista e despachou: – Deixa que eu leio em casa. E encerrou a...

Leia Mais

PODER SEM PUDOR

Cachorro não vota Cena contada por Simão Pessoa, no seu “Folclore Político do Amazonas”: um homem chega para votar em Iranduba, na eleição de 2000, seguido por um cão. “Vai embora, Faísca!”, ordena. Mas o cachorro o ignora. – Deixa de ser intrometido, Faísca! – insiste. Como o animal não arredava patas, tomou um chute nas costelas. O pobrezinho saiu em disparada, ganindo. O homem explicou suas razões aos demais eleitores, indignados com a agressão: – Bicho besta, esse Faísca. Eu já disse que aqui a gente pode votar em cachorro, mas cachorro ainda não pode...

Leia Mais

Tempo

GOVERNADOR VALADARES

Patrocínio