Fábio Carille convive de maneira intensa com a possibilidade de mudança para o Al-Hilal, da Arábia Saudita. Nas últimas horas, ele já fez contatos em busca de referências sobre a equipe árabe e as peculiaridades que teria de lidar caso sua saída se concretize. A goleada sobre o Deportivo Lara-VEN na última quinta, e a consequente classificação às oitavas de final da Copa Libertadores, serviram como alívio.

Em meio às conversas, Carille avisou que a única chance de deixar o Corinthians antes do próximo jogo da Libertadores seria conseguir a vaga antecipada. Sem este empecilho, estipulou um novo prazo para reabrir as tratativas: depois do jogo contra o Sport, domingo no Recife, o assunto deve voltar à tona. O estafe do treinador e os intermediários do negócio ainda trabalham com a informação de que Jorge Jesus, treinador do Sporting, é visto como alternativa no Hilal.

Até pela informação sobre a ‘concorrência’, Carille estipula como prioridade que receba uma proposta por escrito com os termos já discutidos verbalmente (salário de R$ 1,07 milhão por mês, livre de impostos). Entretanto, os representantes que participam das discussões com o clube árabe têm longo histórico de negociações no futebol da Ásia e acreditam que o negócio possa ser selado no começo da próxima semana.

As conversas, que se iniciaram na semana passada e se tornaram públicas por conta de divulgação do próprio Al-Hilal, são acompanhadas por advogados designados por Carille e seus empresários. Entre as preocupações, uma já foi excluída: o histórico ruim de pagamentos por parte de algumas equipes árabes não abrange o Hilal, que tem reputação positiva. O meia-atacante brasileiro Carlos Eduardo, ex-Fluminense, atua por lá.

Enquanto isso, a comissão técnica do Corinthians vive a expectativa da mudança ao lado de Carille. Nas discussões, o treinador não abre mão de levar entre três e quatro profissionais para trabalhar com maior autonomia na Arábia Saudita. Os nomes mais cotados são os do auxiliar Leandro da Silva (Cuca), o preparador físico Walmir Cruz, o observador técnico Mauro da Silva e ainda o preparador de goleiros Mauri Lima como possível quarto elemento.

Fonte: Portal UOL