Numa reunião na manhã de sexta-feira (25) do prefeito André Merlo e todo o seu secretariado, foram traçadas estratégias emergenciais para enfrentar os problemas que os diversos setores da prefeitura estão sofrendo com o risco de desabastecimento de itens importantes para o pleno funcionamento das atividades do município, em decorrência da greve dos caminhoneiros. Foram enumerados os seguintes problemas:

Secretaria Municipal de Saúde

Hospital Municipal:

A empresa responsável pela distribuição de carnes para o preparo das refeições dos pacientes do Hospital Municipal é de Betim (MG) e não conseguiu chegar a Valadares. Por meio de empenho do prefeito André Merlo, a SMS garantiu carne de fornecedores locais para pacientes e acompanhantes, até a terça-feira (29). Já produtos de hortifrútis estão disponíveis até o fim da semana. O estoque de leite está acabando e o município está providenciado com fornecedores locais.

Medicamentos:

A Assistência Farmacêutica do Município informa que aguarda a entrega de alguns itens, no entanto, até o presente momento, as empresas não se manifestaram quanto a um possível atraso. Caso a paralisação se estenda, poderá haver atraso na entrega de itens que abastecem as unidades de saúde da cidade.

Secretaria Municipal de Educação (SMED)

Escolas:

As aulas estão suspensas em todas as escolas municipais e creches conveniadas desde sexta-feira (25) por causa da interdição (bloqueio) das estradas, que compromete o transporte dos estudantes e a chegada de merenda escolar ao município. São 53 escolas (41 na zona urbana e 14 rural) e 15 creches conveniadas, totalizando 20.660 estudantes.

 

Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos:

Aeroporto:

 Já não há mais combustível disponível para aeronaves de pequeno porte com motores a pistão. Já o estoque do combustível JET A-1 (QUEROSENE DE AVIAÇÃO) para motores turbo-hélice e turbina tem duração de até 14 dias, também levando-se em conta o atendimento à demanda normal.

Veículos:

O álcool e a gasolina dos postos credenciados disponíveis para o abastecimento dos veículos que prestam serviço a esta Secretaria acabaram. Portanto, ela só conta com o combustível já disponível nos carros. No entanto, ainda há diesel. Na tarde de ontem, refletiu-se também nos serviços de manutenção de vias. Caminhões das empreiteiras que estavam transportando mistura asfáltica foram barrados nas rodovias, ocasionando assim a paralisação do serviço.

 

Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE):

Abastecimento de água:

O Saae informa que possui produtos para tratamento da água armazenado em estoque suficiente para pouco mais de uma semana (até o dia 31). A partir dessa data, caso a greve continue, não terá mais condições para tratar a água e distribuí-la à população. Por se tratar de corrosivos, esses produtos devem ser transportados em caminhões apropriados, licenciados e autorizados. A autarquia esclarece que possui um caminhão-tanque de quatro mil litros, mas devido à greve também fica impossibilitado de chegar até as empresas.