Na noite de quinta-feira (3) foi anunciado o tão esperado projeto de reforma do Teatro Atiaia, fechado desde 2015 devido a problemas estruturais e de acessibilidade. A boa notícia foi dada pelo prefeito André Merlo na Galeria Monhangara, que estava lotada de cidadãos, servidores, autoridades políticas, civis e militares e artistas.

Antes do anúncio foi apresentado trecho da peça “Procura-se um Amor que Goste de Chico Buarque”, do grupo valadarense Libre Théâtre, que recebeu três prêmios, inclusive o de melhor espetáculo, no 8º Festival de Teatro de Ubá, na semana passada. Em seguida, foi projetado um emocionante vídeo com depoimento do servidor Jurceli Cândido da Silva, que trabalha no Atiaia desde a sua construção, acompanhado de imagens do teatro após a reforma.

“O Atiaia é uma das obras mais importantes que eu já realizei na minha vida. Numa das últimas administrações, tentou-se fazer uma reforma do Atiaia, mas foi uma coisa ‘meia-sola’. Agora, nesta administração, recebi do prefeito André Merlo o pedido de um projeto que não fosse ‘meia-sola’. Ele disse que queria um projeto ‘de verdade’ – e foi o que tentamos fazer: um projeto de verdade para que Valadares tenha um teatro também de verdade”, afirmou o arquiteto Adolpho Campos, criador da concepção original do Teatro Atiaia e também do projeto de reforma, homenageado com uma placa entregue pelo prefeito.

O prefeito André, em seu pronunciamento, explicou a odisseia do Teatro Atiaia: “O Atiaia realmente foi fechado, por questões de segurança, pelo Corpo de Bombeiros. Nós poderíamos simplesmente ter solucionado os problemas apontados por eles e reaberto o teatro. Mas nós nos posicionamos da seguinte maneira: se for para reabrir o teatro ainda danificado e ser alvo de críticas da sociedade, é melhor não fazer. Então, preferimos dar um passo atrás e buscar o projeto. Ele não existia. Recorremos ao Adolpho Campos, que se prontificou e doou esse projeto para a gente. E aqui gostaria de agradecer muito ao Adolpho, porque até conseguirmos fazer um projeto na prefeitura, licitar, contratar uma empresa… Nós estaríamos agora fazendo a licitação do projeto – é muita burocracia”.

Continuando, o prefeito revelou como será viabilizada a reforma. “Então, senhoras e senhores, nós agora lançamos esse projeto e estamos em busca de parceria. Nós precisamos de parceria. A prefeitura pode ajudar com contrapartidas. Nós gostaríamos que a iniciativa privada abraçasse esse projeto junto com a Prefeitura e os artistas, e aqueles que se interessam, para que a reforma aconteça. Para isso, na minha opinião, e vocês vão me desculpar, são necessários muito poucos recursos – em torno de R$ 1,2 milhão – para reformar esse teatro completamente, com tudo novo: som, cadeiras, etc. Não é para fazer ‘meia-boca’, não; é pouco dinheiro para uma cidade como Valadares. Infelizmente, a prefeitura tem suas limitações, mas nós vamos conseguir, com a ajuda de vocês, viabilizar esse projeto. No que depender da prefeitura, do nosso esforço e do nosso empenho, ele será realizado, podem ter certeza disso”, concluiu André Merlo.