Central do Assinante







PUBLICIDADE


AS MAIS LIDAS
Página Inicial:: >> Notícias do Brasil & Mundo >> Agropecuária >>
sábado, 21 de maio de 2016

Cooperativa promove 17ª Leilão de Vacas e Novilhas Leiteiras

FOTO: Jack Zalcman
GUILHERME OLINTO afirma que os animais que serão leiloados foram selecionados um a um e possuem excelente genética
GOVERNADOR VALADARES -

Reconhecido como um dos leilões mais esperados no calendário dos pecuaristas do Leste mineiro, o Leilão de Vacas e Novilhas Leiteiras organizado pela Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce chega a sua 17 edição. Será no próximo sábado, dia 28, às 16 horas, no Parque de Exposições. Além do leilão, haverá feira de touros das raças gir e guzerá e sorteio de uma moto Honda zero-km.

 

Serão 90 lotes de animais de alta produtividade leiteira, oriundos de fazendas que oferecem excelência em genética, garantindo a qualidade do gado. O pagamento poderá será feito em 20 parcelas. No fim do leilão, será sorteada uma moto entre todos os compradores presentes. A leiloeira será a Minas Leilões e Eventos.

 

O leilão da Cooperativa teve sempre como seu principal destaque as vendas da raça girolando, que é resultado do cruzamento dos gados holandês e gir. Outro detalhe é que todos os animais estão em fase de lactação, no pico de produção das vacas leiteiras, que ocorre 15 a 90 dias após o parto. “Cerca de 80% das vacas estão no início de lactação. Os produtores devem ficar atentos a isso, pois esta é a fase onde ocorre a maior produção de leite do animal. Ou seja, o produtor que arrematar o lote já vai ter retorno na produção de leite no outro dia. Os animais foram selecionados um a um. Tudo isso é fruto do trabalho da Cooperativa para beneficiar o cooperado, que aguarda todos os anos para expor a produtividade do seu rebanho”, afirmou o presidente Guilherme Olinto. 

 

Considerado uma excelente opção para o produtor rural que deseja realizar excelentes negócios, a cada ano, o Leilão de Vacas e Novilhas Leiteiras da Cooperativa supera as expectativas do cooperado. Ano passado, por exemplo, o leilão levou um público de mil pessoas ao Parque de Exposições. Foram arrematados 100 lotes, movimentando-se cerca de R$ 1,5 milhão. Olinto aconselha os produtores a que cheguem mais cedo ao Parque de Exposições no dia do leilão. “O produtor tem que chegar mais cedo para conversar com os vendedores e  tirar alguma dúvida da genética de cada animal. Assim ele evita desinformações durante os lances do leiloeiro.”









COMENTE ESTA NOTÍCIA


COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA






NOTÍCIAS RELACIONADAS